O secretário de Estado norte-americano reafirmou esta quarta-feira que o Presidente sírio é «um ditador brutal, sem legitimidade para dirigir» o país, dez dias depois de causar polémica ao declarar que «era preciso negociar» com Bashar al-Assad.

Antes de voar para a Suíça, com a esperança de concluir um acordo sobre o programa nuclear iraniano, John Kerry e a sua adjunta para o Médio Oriente, Anne Patterson, reuniram-se hoje com o antigo dirigente do Conselho Nacional Sírio, Moaz Al-Khatib, que dirigiu esta instância da oposição síria moderada de novembro de 2012 a abril de 2013.

Os três dirigentes discutiram «os meios de fazer avançar uma solução política para a crise na Síria», segundo um comunicado do Departamento de Estado.