A CIA não estava preparada para prender e interrogar suspeitos da Al-Qaeda após os atentados de 11 de setembro de 2001, e os métodos de interrogatório utilizados foram «repugnantes», afirmou o diretor da agência de informações norte-americana.

«A CIA navegou em terreno desconhecido, não estávamos preparados. Tínhamos pouca experiência na detenção de prisioneiros e poucos agentes estavam formados para conduzir interrogatórios», disse o diretor da CIA, John Brennan durante uma conferência de imprensa.

O responsável dos serviços de informações norte-americanos fazia referência ao relatório da Comissão sobre Serviços de Informação do Senado dos Estados Unidos, divulgado na terça-feira, onde se conclui que as técnicas de interrogatório CIA «foram ineficazes» e «brutais e bem piores do que foi descrito pela CIA» aos membros do Congresso.