O novo ministro da Saúde brasileiro considera que a Organização Mundial da Saúde revela "excesso de zelo" quando recomenda às grávidas para não viajarem para o Brasil durante os Jogos Olímpicos deste ano, no Rio de Janeiro, por causa do vírus Zika.

"Pode ser um excesso de zelo, mas desde que todos venham, estaremos felizes e satisfeitos. Quem quiser vir com mais cuidados, que venha", disse Ricardo Barros, que tomou posse na quinta-feira como ministro do Presidente interino Michel Temer.

Um ano após a primeira confirmação da presença do vírus Zika no Brasil, a OMS veio advertir que a doença, agora considerada grave, possa vir a expandir-se para outras regiões e esteja para ficar.

"É pouco provável que o Zika simplesmente se extinga e desapareça"

Em abril, a Organização Mundial de Saúde fez igualmente um alerta sério para a Europa por causa da doença. Em Portugal, a Direção-Geral de Saúde também elaborou uma lista com recomendações.

A investigação sobre a doença que está a afetar muito o Brasil, mas que também encontrou eco noutros países, tem revelado algumas pistas e conclusões. Cientistas norte-americanos, por exemplo, estabeleceram pela primeira vez com certeza que o vírus Zika pode provocar microcefalia no feto. "Agora fica claro" que sim, dizem.