Donald Trump concedeu esta sexta-feira um indulto ao polémico ex-xerife Joe Arpaio, que enfrentava uma condenação de até seis meses de prisão depois de ser considerado culpado num caso de discriminação racial.

“O xerife Joe Arpaio tem 85 anos e mais de 50 anos de serviço admirável à nação, merece um perdão presidencial."

Desde o início de 1993 e até ao passado mês de janeiro, Arpaio foi xerife do condado de Maricopa (Arizona) – que inclui Phoenix –, num total de 24 anos em que ficou famoso a nível mundial pela mão dura para com os imigrantes ilegais e pelas severas condições na prisão sob a sua jurisdição.

No Twitter, o presidente dos Estados Unidos chamou-lhe "um patriota americano" que "manteve o Arizona seguro".

Este foi o primeiro indulto concedido pela administração de Trump. No comunicado da Casa Branca, pode ler-se que o xerife "protegeu o público dos flagelos do crime e da imigração ilegal". 

Joe Arpaio, autoproclamado "o xerife mais duro da América", tinha sido condenado há menos de um mês num caso de discriminação racial.

Foi também ele que chegou a investigar as falsas alegações de Trump sobre a cidadania do ex-presidente Barack Obama.

"Tenho de agradecer ao presidente pelo que ele fez. Ele é um grande apoiante do cumprimento da lei", afirmou, à Reuters.

 A decisão de Donald Trump já foi muito criticada por vários defensores dos direitos civis.