O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT, da atual Presidente brasileira, Dilma Rousseff) João Vaccari Neto foi condenado esta segunda-feira a 15 anos e quatro meses de prisão por branqueamento de capitais, associação criminosa e corrupção na Petrobras.

Vaccari Neto foi considerado culpado pela Justiça Federal brasileira por desvios em obras da petrolífera feitas pelo consórcio Interpar, em duas refinarias, no interior de São Paulo e no Paraná.

Além de Vaccari, também foram condenados o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e mais oito acusados.