Um grupo de montanhistas encontrou o corpo do montanhista português João Marinho, este sábado de manhã, nos Picos da Europa, no penhasco Pena Santa de Enol.
 
Devido ao avançado estado de decomposição do corpo, deduziram que já tinha falecido há muito tempo e, quando encontraram os documentos, confirmaram tratar-se de João Paulo Marinho, o montanhista de nacionalidade portuguesa, que tinha desaparecido naquela zona em novembro.
 
Depois de descobrirem o corpo, o grupo de montanhistas ligou para o 112, que avisou a Guarda Civil. Em seguida, uma equipa deslocou-se ao local e levou o cadáver para o Instituto Anatómico Forense, em Oviedo, onde será realizada a autópsia.

Fonte do instituto disse que, agora, ainda poderão precisar de mais dois dias para, através do ADN, confirmar se se trata mesmo do corpo do montanhista português.

De acordo com fonte do Comando Geral da Guardia Civil em Gijón (Astúrias, Norte de Espanha), "o corpo do montanhista foi recolhido por uma Equipa do Serviço de Resgate e Intervenção em Montanha e foi enviado para autópsia no Instituto Anatómico Forense de Oviedo".
 
O irmão de João Marinho, Pedro Marinho, partiu para o local com uma equipa em busca do irmão, no dia 21 de julho. As buscas foram retomadas ontem.
 
João tinha 31 anos. O alerta do se desaparecimento foi dado no dia 11 de novembro.