Joan Adams Mondale, ou «Joana de Arte», como a passaram a chamar carinhosamente os norte-americanos pelo seu compromisso com a cultura, morreu na segunda-feira aos 83 anos, revelou em comunicado o seu marido, o ex-vice-Presidente democrata Walter Mondale.

«Agradecemos as demonstrações de afeto e apoio que recebemos. Joan era muito querida por muitos. Sentiremos muito a sua falta», afirmou Mondale que foi senador, vice-Presidente de Jimmy Carter e, em 1984, protagonizou uma das maiores derrotas na história das eleições presidenciais dos Estados Unidos ao ser derrotado pelo republicano Ronald Reagan.

A família não revelou as causas da morte de Joan Mondale, reputada em todo o país pela sua incansável defesa das artes e da cultura, um empenho que lhe valeu a nomeação como presidente honorária do Conselho Federal das Artes e das Humanidades pelo antigo Presidente Jimmy Carter.