A polícia britânica informou, este sábado, que Thomas Mair, de 52 anos, foi acusado do homicídio da deputada trabalhista Jo Cox, de 41 anos.

Vamos acusar um homem pelo homicídio”, disse Nick Wallen, chefe da polícia de Yorkshire (no norte de Inglaterra), em comunicado, acrescentando que "Thomas Mair, de 52 anos, de Birstall, vai comparecer perante os magistrados hoje (sábado)”.

O homem de 52 anos, que foi detido no local do crime, chegou ao tribunal de Westminster ao início da manhã. Na primeira sessão de interrogatório, Thomas Mair recusou confirmar a sua identidade.

O meu nome é morte aos traidores, liberdade para a Grã-Bretanha".

A deputada trabalhista britânica Jo Cox, 41 anos, não resistiu aos ferimentos após ter sido atingida a tiro e apunhalada em plena rua, na quinta-feira, na cidade de Birstall, norte de Inglaterra. As motivações do crime não são conhecidas oficialmente, mas a deputada estava a fazer campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia. Este é o mais dramático sinal de como as posições estão extremadas sobre o referendo de dia 23.