Mais de 1400 suspeitos ligados à indústria do entretenimento, música, instituições e política foram identificados pela polícia britânica por suspeitas de abuso sexual de crianças.

Estes são os resultados da Operação “Hydrant”, organizada pelo Concelho Nacional dos Chefes da Polícia (NPCC), que investiga casos de abusos consumados por “figuras públicas”.

Segundo a “Sky News”, das 1.433 pessoas identificadas, 216 já morreram.

O chefe da polícia do condado de Norfolk, Simon Bailey, que lidera a equipa de proteção de crianças do NPCC, disse que o número de denúncias “aumenta de dia para dia”.

“Os números avançados hoje são uma amostra [de todos os casos ocorridos ao longo dos anos]”, disse.


Como clarifica o “Belfast Telegaph”, dos 1.433 suspeitos, cerca de 666 estão ligados a um total de 357 instituições, já identificadas separadamente, 261 são figuras públicas, dos quais 135 ligados à televisão, cinema ou rádio, 76 ligados à política, 43 à indústria musical e sete ao desporto.
 

“Estamos a receber um número sem precedentes de queixas”.


Bailey diz que são esperados 116 mil novos relatos de abusos sexuais, consumados ao longo dos anos, até ao final de 2015, um aumento de 71% desde 2012.

O responsável não tem dúvidas que este aumento no número de queixas e denúncias está ligado à descoberta do caso de Jimmy Savile, o antigo DJ da BBC, que durante 24 anos abusou de dezenas de crianças e adultos.

“Não há dúvidas que o [Jimmy] Savile teve um efeito [no Reino Unido]. Estamos a receber cada vez mais denúncias”, acrescentou Simon Bailey.