As autoridades espanholas iniciaram um programa especial de vigilância de 186 reclusos devido ao risco de captação por redes ‘jihadistas’, já que as prisões - a seguir às redes sociais - são a segunda fonte de terroristas islâmicos.

Nas prisões espanholas encontram-se mais de 500 pessoas presas em operações contra o terrorismo ‘jihadista’ (dos quais 47 apenas em 2015). De acordo com a edição de hoje do jornal El Mundo, os principais objetivos do programa visam "evitar processos de captação, recrutamento e radicalização de reclusos muçulmanos nas prisões".

Mas também existe o objetivo de seguir estes reclusos - melhorar o conhecimento sobre as suas personalidades - para evitar que, uma vez em liberdade, voltem a dar apoio ou a participar em ações terroristas.