A polícia marroquina desmantelou uma célula jihadista de três elementos que declarou obediência ao grupo Estado Islâmico numa cidade do norte de Marrocos, próxima do enclave espanhol de Ceuta, anunciaram hoje as autoridades.

As três pessoas envolvidas, cuja identidade não foi divulgada, foram detidas em Fnideq numa operação da polícia judiciária, segundo um comunicado do Ministério do Interior que não precisa a data das detenções.

Segundo a mesma fonte, os membros da célula «declararam obediência ao líder do grupo Estado Islâmico», Abu Bakr al-Baghadi, e um deles «recrutou e enviou um irmão» para combater nas fileiras do grupo extremista na Síria e no Iraque, «onde morreu em finais de 2014».

A célula mantinha por outro lado «ligações estreitas» com uma outra célula desmantelada em agosto no norte de Marrocos e em Fez (centro), lê-se no comunicado.

Marrocos reforçou a segurança a partir do segundo semestre de 2014 em face do que designou uma «ameaça terrorista grave», tendo-se sucedido informações sobre o desmantelamento de células terroristas.

Em meados de dezembro, numa operação conjunta com as autoridades espanholas, sete pessoas foram detidas em Espanha e em Marrocos no âmbito de uma investigação sobre recrutamento de mulheres para a Síria e o Iraque.

Legislação antiterrorista foi por outro lado concluída em setembro, penalizando fortemente o recrutamento de jihadistas, e, desde então, mais de 30 condenações foram proferidas, na maioria a penas de prisão efetiva de dois a cinco anos.

Entre 1.500 e 2.000 marroquinos juntaram-se a grupos ‘jihadistas’ como o Estado Islâmico.