A Polícia Judiciária da Guiné-Bissau deteve dois guineenses suspeitos de cumplicidade na fuga de um jihadista da Mauritânia, enquanto outros dois foram apanhados na Guiné-Conacri, disse à agência Lusa uma fonte daquela força de segurança.

Saleck Ould Cheikh foi condenado à morte na Mauritânia, em 2011, por "atos terroristas", depois de liderar uma operação da Al-Qaeda do Magrebe Islâmico para tentar matar o presidente Mohamed Ould Abdel Aziz com um carro-bomba.

A 31 de dezembro de 2015 escapou de uma prisão de Nouakchott, capital da Mauritânia, e acabaria por ser detido na terça-feira na Guiné-Conacri, poucos quilómetros depois de sair de território sob jurisdição de Bissau.

(Foto de arquivo)