A França vai propor na segunda-feira à União Europeia que decrete sanções contra os responsáveis políticos que bloqueiam a formação de um governo de união nacional na Líbia, declarou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault.

“Não excluo que possamos aplicar-lhes sanções. É o que vou propor aos meus colegas dos Negócios Estrangeiros na segunda-feira, em Bruxelas”, afirmou Ayrault, em declarações ao canal de informação francês iTÉLÉ.

Desde a queda do seu líder Muammar Kadhafi, em 2011, que a Líbia está mergulhada num caos, dividido entre dois governos rivais - em Tobruk e Tripoli - dilacerado pela violência entre as fações armadas, uma instabilidade que beneficia o grupo Estado Islâmico (EI) e prolonga a sua influência.

Recorde-se que em fevereiro, o conselho presidencial da Líbia, apoiado pela ONU, anunciou, a formação de um governo de união nacional, cuja composição tinha sido submetida ao parlamento reconhecido pela comunidade internacional.