O Parlamento Europeu (PE) apoiou esta quinta-feira as novas medidas apresentadas na quarta-feira pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que preveem distribuição pelos Estados-membros de mais 120 mil refugiados, atualmente na Itália, Grécia e Hungria.

Numa resolução aprovada esta quinta-feira em Estrasburgo, os eurodeputados deram ainda luz verde à proposta de Bruxelas para a criação de um mecanismo de repartição permanente e vinculativo.

Juncker, no discurso sobre o estado da União, proferido na quarta-feira, apelou à solidariedade dos Estados-membros e lembrou que a história da Europa é também feita de refugiados.

O PE lamentou ainda a “lamentável falta de solidariedade dos governos com os requerentes de asilo”.

Os eurodeputados estão ainda disponíveis para aprovar formalmente a proposta legislativa da Comissão Europeia através de um procedimento acelerado.

A Comissão Europeia propôs na quarta-feira a recolocação de mais 120 mil refugiados que se encontram na Itália (15.600), Grécia (50.400), e Hungria (54.000), com caráter urgente o obrigatório.

Bruxelas já tinha proposto a distribuição entre os vários Estados-membros (recolocação) de 40 mil refugiados.

Portugal vai receber cerca de cinco mil refugiados.