Jean-Claude Juncker, indigitado em finais de junho pelos líderes europeus para futuro presidente da Comissão Europeia, quer que os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) proponham mais mulheres para a próxima equipa do executivo comunitário.

Fontes do gabinete do ex-primeiro-ministro luxemburguês, citadas este domingo pela agência espanhola EFE, afirmaram que, com base nos contactos preliminares entre Juncker e os vários países, o novo executivo comunitário só terá duas ou três mulheres.

«É difícil pensar que o Parlamento Europeu dará luz verde a uma Comissão Europeia com menos mulheres do que a atual», acrescentaram as mesmas fontes.