O presidente da Comissão Europeia convocou esta quarta-feira uma reunião de líderes para o próximo domingo, que juntará em Bruxelas chefes de Estado e de Governo de dez países, para discutir a situação de emergência relacionada com os fluxos migratórios, particularmente a situação crítica que se vive nos Balcãs.

O executivo comunitário anunciou que no encontro deverão estar presentes os chefes de Estado e de Governo da Áustria, Bulgária, Croácia, Alemanha, Grécia, Hungria, Roménia, Eslovénia e ainda da Antiga República Jugoslava da Macedónia e Sérvia, dois países que não são membros da União Europeia, tendo ainda sido convidados o presidente do Conselho Europeu, a presidência luxemburguesa da UE e o Alto Comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres.

Segundo a Comissão, o objetivo do encontro é acordar medidas operacionais que possam ser imediatamente implementadas, dada a situação que se vive na rota ao longo dos Balcãs, que exige “muito maior cooperação, consultas mais extensas e ação operacional imediata”.

A crise de refugiados na Europa está a criar uma grande tensão na região dos Balcãs, onde as restrições à entrada de refugiados têm bloqueado o caminho até aos países do norte e centro do continente europeu. Depois de a Hungria ter fechado a fronteira, o fluxo intensificou-se em países como a Croácia, a Eslóvenia e a Sérvia. 

No caso da Eslovénia, só podem entrar no país 2.500 refugiados por dia e o governo já avisou que vai usar o exército para reforçar o controlo na fronteira, devido à crise de refugiados que se tem intensificado no país.