A polícia brasileira prendeu esta quarta-feira o presidente da multinacional do sector de carnes JBS, Wesley Batista, irmão do empresário que acusou o presidente do Brasil, Michel Temer, de corrupção.

Wesley Batista foi detido esta quarta-feira, em São Paulo. A ordem de prisão preventiva, sem data para expirar, foi dada pela 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

O presidente da JBS, uma das maiores fabricantes e exportadores de carne do mundo, é acusado de usar informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro entre abril e 17 maio de 2017, data em que foram divulgados depoimentos de vários executivos da companhia que envolveram centenas de políticos num grande escândalo de corrupção.

O irmão, Joesley Batista, também foi alvo de um mandado de prisão, mas Joesley já está detido, desde domingo, no âmbito de outro caso que está relacionado com a Operação Lava Jato. 

Com este novo mandado de prisão preventiva, Joesley deve continuar preso, após expirar o prazo de cinco dias da prisão temporária que cumpre atualmente.