O Irão informou, esta quarta-feira, que vai participar nas conversações sobre a Síria da próxima sexta-feira em Viena, na Áustria, as primeiras a reunir todos os grandes intervenientes internacionais do conflito. O regime iraniano vai estar representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Javad Zarif, que discutirá uma solução política para a guerra na Síria com os homólogos dos Estados Unidos, da Rússia, da Arábia Saudita e da Turquia. Egito, Líbano e União Europeia também confirmaram a presença em Viena.

A participação do Irão, um importante apoio do Presidente sírio Bashar al-Assad, representa uma viragem no processo diplomático. Isto porque até agora Teerão tem sido excluído das conversações internacionais de 2012 e 2014 em Genebra devido à oposição dos EUA e da Arábia Saudita.

"Avaliámos o convite e decidimos que o ministro dos Negócios Estrangeiros participará nas conversações", disse o porta-voz de Zarif, Marzieh Afkham, à televisão estatal iraniana.


De acordo com a BBC News, a porta abriu-se para a participação do Irão apenas na terça-feira, depois de dias de negociações entre norte-americanos e sauditas, os grandes rivais de Teerão no Médio Oriente. A Rússia, por seu lado, fez a ponte com a delegação iraniana, que aceitou nesta quarta-feira o convite. Esta será a primeira vez desde o início da guerra que todos os grandes atores regionais e internacionais se encontram para discutir a Síria.

Uma semana depois de se terem reunido em Viena, os chefes das diplomacias dos EUA, Rússia, Arábia Saudita e Turquia vão reunir-se na quinta-feira ao fim do dia na capital austríaca. As conversações serão depois alargadas na sexta-feira aos homólogos do Irão, do Egito, do Iraque e do Líbano, todos convidados pelos EUA.