Uma equipa internacional de veterinários, que foi autorizada a entrar na Faixa de Gaza para salvar um jardim zoológico apelidado de “o pior do mundo”, conta que o cenário que encontraram no zoo Younis Khan é “tão horrível como os relatórios sugeriram”.

Localizado numa das zonas mais conturbadas do mundo, o Younis Khan chamou recentemente a atenção internacional depois de se saber que o zoo tem animais mumificados em recintos ao lado de animais vivos.

De acordo com o jornal britânico “The Independent”, o cenário não é nada acolhedor e mais parece um museu do que um jardim zoológico: múmias de leões, macacos, aves e crocodilos revelam os estragos dos conflitos armados entre o exército de Israel e o grupo palestiniano Hamas em meados de 2014. No Khan Younis, os animais morreram não só pelos bombardeamentos, mas de fome e de sede, já que funcionários não conseguem chegar lá para cuidar deles.

Desde 2005, o jardim zoológico mantém o hábito de embalsamar os animais mortos e voltar a colocar os corpos nas jaulas, mas agora o número de animais mortos pode ultrapassar o dos vivos.

No Khan Younis, o cuidado básico dos animais é quase inexistente: não há tratador especializado e os cuidados médicos são feitos através de consultas por telefone com os veterinários do Egito.

"Tem havido muita atenção dos media", disse o gerente do zoo Ziyad Oweida, citado pelo “The Independent”. “Mas ninguém veio para nos ajudar”, acrescentou.

Uma equipa de veterinários da organização de bem-estar animal Four Paws (Quatro Patas) é a primeira deste tipo de organizações a ter autorização das autoridades para entrar na Faixa de Gaza e proporcionar atendimento de emergência aos animais.

Os veterinários da Four Paws afirmam que a situação em Khan Younis é “desoladora”: sem dinheiro para pagar a tratadores, as jaulas estão cheias de lixo, os poucos animais sobreviventes não têm comida e a água é escassa.  

O líder da missão de veterinários a Khan Younis, o médico veterinário Amir Khalil, afirma que “os grandes felinos sobreviventes - uma leoa e um tigre - estão encurralados em jaulas destruídas e estão muito magros. Muitos outros animais já morreram de fome."

Amir Khalil afirma que a equipa que lidera irá prestar cuidados de emergência veterinária e alimentar os animais durante os próximos três meses. Como não há instalações adequadas para armazenamento, as entregas serão organizadas semanalmente, acrescenta o responsável.

Four Paws é uma das poucas organizações internacionais de proteção dos animais que operam na região, e recebeu o apoio da fundação francesa “30 Millions d’Amis” para a missão de emergência veterinária em Khan Younis .

Em setembro de 2014, a Four Paws realizou uma operação de emergência para transferir três leões do muito danificado jardim zoológico al-Bisan no norte de Gaza para um campo provisório na Jordânia.

A organização também está a criar um novo santuário animal na Jordânia, o al-Ma'wa para a Natureza e a Vida Selvagem.