O Governo japonês vai passar a permitir que as mulheres que integram o exército pilotem “caças”, um modelo de avião que o sexo feminino estava impedido de pilotar, informou hoje a televisão pública NHK.

O ministro da Defesa japonês, Gen Nakatani, afirmou que se trata de “abrir caminho” às mulheres das forças armadas, permitindo-lhes pilotar este tipo de aviões de combate e assim procurar promover a igualdade de género no contexto laboral.

Atualmente, as mulheres que integram as forças armadas do país pilotam aviões de transporte e de patrulha, mas não as aeronaves de combate F-15 ou F-4.

Noutro plano, o Japão vai aumentar de quatro para dez o número de satélites de vigilância a fim de reforçar a monitorização, em particular, das suas águas, de acordo com a atualização de uma diretriz publicada hoje pelo Executivo nipónico.

A revisão do Plano Básico de Política Espacial, que engloba as atuações neste terreno para os próximos dez anos e será oficialmente adotada pelo Executivo em dezembro, contempla o lançamento do primeiro dos seis dispositivos adicionais em 2019.

O Japão opera atualmente quatro satélites que recolhem informação para os seus serviços de inteligência, incluindo dois óticos e outros que funcionam com tecnologia de radar.