Pelo menos quatro pessoas estão desaparecidas e outras 65 feridas nas primeiras horas da passagem do tufão Man-yi pelo Japão, com ventos de 162 quilómetros por hora e chuvas intensas. A tempestade, que atingiu, na manhã desta segunda-feira, o centro sul do arquipélago japonês obrigou também as autoridades a retirar de casa 300.000 pessoas.

Além dos desaparecidos, devido a deslizamentos de terras em Toyohashi, na prefeitura de Aichi, há registos de inundações em mais de 860 casas.

Pelo menos 200 voos foram cancelados no Japão devido à chegada do tufão Man-yi com ventos superiores a 160 quilómetros por hora e chuvas intensas em várias regiões.

Os trabalhadores da central nuclear japonesa de Fukushima aumentaram o controlo de vigilância do complexo. De acordo com a cadeia de televisão NHK, os trabalhadores da central nuclear preparam desde domingo a chegada da tempestade tropical e aumentaram a vigilância para evitar a fuga de água contaminada e que tem sido utilizada para arrefecer os reatores danificados com o sismo e tsunami de 11 de março de 2011.

A tempestade atingiu o arquipélago japonês no centro sul, na localidade de Toyohashi, na prefeitura de Aichi, tendo as autoridades ativado alertas de inundações em várias regiões, apelado ao abandono de zonas de risco de derrocadas e apelado a cuidados redobrados para garantir a segurança das populações.

As previsões dos meteorologistas indicam que a tempestade deverá atingir a região de Fukushima, no nordeste japonês, ao longo da tarde desta segunda-feira.