O Estado Islâmico fez esta quinta-feira um novo ultimato, ameaçando matar, até ao pôr-do-sol, um piloto jordano, caso Amã não liberte a jihadista iraquiana presa e condenada à morte, informou o centro norte-americano de vigilância de sites islamitas SITE.

As novas ameaças foram transmitidas numa mensagem de áudio, lida por outro refém, o jornalista japonês Kenji Goto, publicada em contas ligadas ao grupo radical na rede social Twitter e cuja autenticidade não foi ainda comprovada.

«Se Sajida Al-Rishawi não estiver pronta para ser trocada, para que a minha vida possa ser poupada, na fronteira turca até ao pôr-do-sol de quinta-feira, dia 29 de janeiro, hora de Mossul, o piloto jordano Muaz Kasasbeh será imediatamente executado», diz a transcrição da mensagem de áudio publicada pelo SITE.

A Jordânia já se tinha mostrado disponível para efetuar a troca de prisioneiros, mas exigia uma prova de que o piloto jordano estava vivo. 

Um porta-voz do primeiro-ministro nipónico disse que as autoridades estão também a analisar a autenticidade deste novo vídeo colocado no Youtube, mas, segundo a BBC, o Japão tornou-se um «espectador» neste drama, com os terroristas concentrados apenas na atuação das autoridades jordanas. 

O ultimato termina ao pôr-do-sol, na fronteira entre a Turquia e a Jordânia. O relógio conta na vida destes reféns.