Pelo menos quatro navios apareceram este mês na costa oeste do Japão, alguns com corpos a bordo. Embora as autoridades não tenham confirmado a origem das embarcações, os sinais sugerem que vieram da Coreia do Norte, noticia a CNN.

De acordo com o canal norte-americano de televisão, a guarda costeira de Akita encontrou oito esqueletos numa embarcação de madeira com sete metros de comprimento que deu à costa na praia de Miyazawa, no noroeste de Honshu, a maior ilha do arquipélago japonês. O barco foi visto na sexta-feira à deriva junto à costa, mas a descoberta macabra só foi feita na segunda-feira quando a embarcação encalhou na praia. A agência de notícias Kyodo refere que a suspeita é de que o navio seja norte-coreano.

O caso deste navio fantasma não é único e só este mês já houve mais três. No fim de semana, outros dois corpos foram encontrados na ilha Sado. Junto aos restos mortais estava um maço de cigarros de uma marca norte-coreana e outros pertences com letras em coreano.

Também a 17 de novembro, quatro cadáveres foram descobertos a bordo de uma outra embarcação que deu à costa em Ishikawa.

Dois dias antes, a 15 de novembro, três norte-coreanos foram resgatados pela guarda costeira japonesa na península de Noto, também em Ishikawa. Três cadáveres foram encontrados no barco no dia seguinte. Todos os corpos e sobreviventes voltaram para a Coreia do Norte.

Já na passada quinta-feira, dia 23 de novembro, uma outra embarcação de madeira com oito homens vivos e em razoável estado de saúde apareceu na cidade de Yurihonjo. Os homens contaram que saíram da Coreia do Norte para pescar lulas e acabaram por chegar ao Japão depois de enfrentarem dificuldades com a embarcação.

Escassez e desespero

As autoridades japonesas afirmam que é comum avistar embarcações da Coreia do Norte que se desviam da rota e entram em mares do Japão.

De acordo com especialistas, o aumento repentino no número de embarcações norte-coreanas que chegam à costa japonesa pode ter sido causado pelo endurecimento do embargo contra o regime de Kim Jong-un.

A Coreia do Norte pressiona o seu povo a pescar mais peixes para que possa lidar com a falta de alimentos”, afirmou Seo Yu-suk, do Instituto de Estudos Norte-coreanos, em Seul, na Coreia do Sul, em entrevista à Reuters.

 

Satoru Miyamoto, professor da Universidade Seigakuin e especialista em assuntos da Coreia do Norte, explicou à CNN que o número de navios que chegam à costa do Japão aumentou desde 2013.

 

Depois de Kim Jong-un ter decidido expandir a indústria da pesca de modo a aumentar as receitas para os militares, eles estão a usar navios antigos tripulados pelo exército, por pessoas que não conhecem a pesca", disse Miyamoto. "Isso vai continuar", acrescentou.

 

Navio com oito norte-coreanos aparece em Yurihonjo (Foto: Kyodo/via Reuters)

A avalanche de navios da Coreia do Norte que vão dar ao Japão é uma reminiscência de 2015, quando mais de 12 navios fantasma foram descobertos com cadáveres a bordo, refere a CNN.

Nessa altura, especialistas referiram que os corpos nos navios podiam ser de refugiados ou pescadores, que se aventuraram em águas mais perigosas desesperados com a escassez de alimentos na Coreia do Norte.

Em janeiro deste ano, as autoridades japonesas resgataram 26 norte-coreanos de um petroleiro que naufragou nas Ilhas Goto, no sudoeste do país. A tripulação foi mais tarde recolhida por outro navio da Coreia do Norte.

Vários dos pescadores norte-coreanos resgatados no início deste mês pelas autoridades japonesas também regressaram ao país de origem, a seu pedido, disseram as autoridades, indicando que pelo menos alguns dos que deram à costa no país vizinho não estavam a tentar fugir.

Desde janeiro, 43 embarcações de madeira, que as autoridades japonesas acreditam ser norte-coreanas, deram à costa no país do sol nascente. No ano passado, o Japão registou 66 embarcações.