Os níveis de contaminação radioativa na área limítrofe da central nuclear de Fukushima aumentaram oito vezes desde agosto passado devido sobretudo ao armazenamento de água contaminada, noticiou este sábado o jornal local «Mainichi».

De acordo com as medições da operadora da central Tokyo Electric Power (TEPCO), a radiação causada na zona pela exposição da água contaminada, escombros e outros resíduos acumulados em Fukushima era de um milisievert por ano em março passado, dentro do limite recomendado, mas aumentou até 7,8 em agosto, escreve a agência Efe.

O aumento foi atribuído à radiação emitida pela água contaminada armazenada, que é gerada no processo de resfriamento dos reatores danificados pelo tsunami de 2011.