A polícia japonesa está a investigar o caso de uma enfermeira de 29 anos cujo corpo foi enviado de Osaka para Tóquio através do serviço expresso dos Correios. O corpo da jovem, que estava desaparecida há dois meses, foi encontrado agora, num contentor alugado, dentro de uma caixa de papelão com dois metros de comprimento. No formulário de entrega, a encomenda estava descrita como «boneca».

A encomenda encontrada armazenada no contentor, tinha sido primeiramente entregue num apartamento alugado em nome de uma brasileira. A enfermeira e a brasileira tinham estudado juntas em tempos, num colégio de Osaka.

De acordo com a BBC, as autoridades japonesas suspeitam que a brasileira e uma jovem chinesa estejam envolvidas num possível homicídio da enfermeira. As duas viajaram, no início de maio, para a China e não voltaram ao país. A brasileira, que teria viajado com passaporte japonês falso, entregou-se, entretanto, no Consulado do Japão em Xangai.

De acordo com a empresa que transportou o cadáver, a encomenda foi enviada de Osaka para Tóquio em nome da própria enfermeira morta.