O tio do número um da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, foi executado esta quinta-feira, depois de ter sido condenado à morte por um tribunal militar especial, anunciou a agência noticiosa norte-coreana KCNA, que o qualifica de «traidor».

A Coreia do Norte tinha confirmado oficialmente na segunda-feira a condenação por praticar «atos criminosos» e dirigir «uma fação contrarrevolucionária», do influente Jang Song-Thaek, tio de Kim Jong-Un e considerado até há pouco como a segunda figura do regime.