Um colombiano, enfermeiro de profissão, é suspeito de ter assassinado mais de 20 pessoas, a maioria mulheres, mas também crianças.

A notícia está a chocar a Colômbia, que em menos de um ano descobre a existência de mais um assassino em série, “O colecionador de Guarne”, como é já conhecido, depois da detenção no final do ano passado de Fred Valencia, o “Monstro de Monserrate”.

A maioria dos crimes terão ocorrido em Guarne, a 30 quilómetros de uma das maiores cidades do país, Medellín.

Jaime Ivan Martinez, de 44 anos, sem antecedentes criminais, foi detido em casa, na segunda-feira, na sequência de uma investigação ao desaparecimento de uma mulher, Maria Gladys Arango Cuervo, 51 anos, sem paradeiro conhecido desde janeiro.

O corpo da mulher desaparecida foi encontrado no domingo num terreno vizinho à residência do enfermeiro, e no dia seguinte Martinez foi detido, para surpresa dos vizinhos.

Até ao momento as autoridades só conseguiram comprovar a morte de Maria Gladys, mas encontraram mais três corpos numa vala comum nas proximidades da casa de Martinez, que seguirão agora para exames de perícia.

"Os agentes encontraram marcas de sangue nas paredes e, senão a totalidade, a maioria das roupas e das joias que Maria Gladys Arango Cuervo usava", revelou um porta-voz do Ministério Público, Luis González.

O enfermeiro confessou a morte desta mulher e também da ex-companheira, Natália Garcia Gil, e dos seus dois filhos, Nelson e Mariana, de oito e cinco anos, desaparecidos em 3 de novembro do ano passado. Foram todos estrangulados com um fio de nylon e enterrados.

"No interior de sua casa, ele colecionava objetos e deixava rastros. Encontrámos mais de 12 celulares e mais de 16 cartões de telemóvel, além de objetos que parecem ser de mulheres. Isso significa que ele está a dizer a verdade", adiantou ainda Luis González.

Martinez chegou, inclusive, a utilizar o cartão SIM do telefone de Maria Gladys e, ao que tudo indica, de outras vítimas para dar a impressão de que estavam vivas.

As investigações aos alegados 25 homicídios decorrem.