O francês Jacques Vergès, personagem mediática e controversa que o cineasta francês Barbet Schroeder retratou no documentário «O Advogado do Terror», morreu na quinta-feira aos 88 anos.

Nascido em 1925, na Tailândia, de mãe vietnamita e pai francês, a sua figura ficou ligada à defesa de indivíduos como o criminoso de guerra nazi Klaus Barbie, o cambojano Khieu Sampham, figura de proa do regime de terror imposto pelo Khmer Vermelho, ou o terrorista venezuelano Ilich Ramirez Sanchez, «Carlos».

A sua clientela, recorda a imprensa francesa citada pela Lusa, inclui igualmente militantes da extrema-esquerda europeia, o presidente sérvio e jugoslavo Slobodan Milosevic ou os terroristas libaneses Georges Ibrahim Abdallah e Anis Naccache.