A cimeira do G20 ficou marcada por uma situação inédita. Donald Trump saiu da mesa de negociações com os restantes líderes mundiais, para um encontro bilateral, e a sua filha, Ivanka Trump sentou-se no seu lugar. Perante o espanto e as reações, o presidente norte-americano veio, esta segunda-feira, explicar através do Twitter, que Angela Merkel concordou. Mas não só. O presidente considera que se tivesse sido Chelsea Clinton a ocupar o lugar, a pedido de Hillary Clinton, a “imprensa falsa” teria escrito ‘Chelsea para Presidente’”.

“Se Chelsea Clinton tivesse sido convidada para ocupar o lugar da mãe, enquanto esta dava o nosso país aos outros, a ‘imprensa falsa’ teria dito ‘Chelsea para Presidente’”, escreveu Donald Trump.

 

 

E a visada já respondeu. Também através das redes sociais, Chelsea Clinton, começa por desejar “bom dia” ao presidente e garante que nem a “mãe, nem o pai” alguma a vez a teriam convidado para se sentar no lugar. E em seguida deixa uma pergunta para Donald Trump: “Estava a dar o nosso país?”

 

 

A imagem de Ivanka Trump sentada no lugar de Donald Trump foi divulgada por uma jornalista russa na sua conta de Twitter, mas acabou por ser apagada. No entanto, foi copiada e ainda corre as redes sociais.

Muitos lembram uma entrevista recente de Ivanka Trump onde esta garantiu, após ser nomeada assistente na Casa Branca, que tentava “ficar afastada da política”.

 

Mas antes de fazer pontaria aos meios de comunicação social, o presidente justificou que era um comportamento padrão e que a chanceler alemã, Angela Merkel, concordava.

 

Apesar de ser habitual que um alto cargo ocupe o lugar de um Chefe de Estado quando este se ausenta da mesa, a curiosidade foi a escolha de Ivanka para ocupar o lugar. Segundo os meios de comunicação social presentes na Cimeira G20, esta nunca tomou a palavra e terá substituido o pai em duas ocasiões diferentes.

Antes, Ivanka Trump já tinha participado numa iniciativa do Banco Mundial que quer promover o empreendedorismo, entre as mulheres, nos países, mais pobres.