A Casa Branca saudou este sábado a libertação da líder da oposição ucraniana Iulia Timochenko e lembrou que devem ser os ucranianos a «determinar o seu próprio futuro» depois da destituição, pelo parlamento, do presidente Viktor Ianukovich.

«Como princípio inabalável devem ser os ucranianos a determinar o seu próprio futuro. Saudamos o trabalho feito pelo Rada [parlamento ucraniano] e continuamos a apelar à formação rápida de um governo de unidade nacional amplo e tecnocrático», afirmou o porta-voz da presidência norte-americana em comunicado.

Anteriormente, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, haviam saudado também a libertação da antiga primeira-ministra ucraniana.