Um polícia italiano está a ser acusado de violar uma turista de 16 anos. Terá recorrido a um site de «couchsurfing» para atrair a jovem. A prática consiste em ficar na casa de estranhos para poupar nos custos da viagem. O julgamento tem início em março.

De acordo com os Promotores de Justiça, Dino Maglio, de 35 anos, admitiu drogar e ter relações sexuais com a jovem, que na altura era menor.

O polícia vive em Pádua e usava o nome «Leonardo» no perfil do site «couchsurfing.com». O serviço de hospitalidade põe em contacto viajantes, que apenas pedem um sofá para dormir, e anfitriões dispostos a oferecer as suas casas de graça.  

Quando questionado sobre o motivo do ataque, Maglio disse aos investigadores que é «estúpido» e «não houve nenhuma razão específica». Acrescentou ainda que, para ele, o sexo foi consensual e a turista «nunca disse não». Alega que nunca tinha tido uma experiência semelhante e que aderiu ao site para praticar inglês.

Depois da jovem australiana, surgiram várias mulheres com histórias parecidas. Dizem ter sido drogadas e violadas enquanto foram hóspedes do polícia. Atualmente são três as investigações em curso. O advogado de Maglio disse ao Invetigative Reporting Project Italy (IRPI na sigla em inglês) que não tem conhecimento total sobre acusações adicionais contra o cliente. 

O caso levantou questões sobre a segurança do site «couchsurfing.com».
 

«Somos recordados de que essas mulheres podiam ser qualquer uma de nós, amigas ou familiares nossas», disse a chefe-executiva do site, Jennifer Billock, ao The Guardian.


A gestora disse também que a página prioriza o bem-estar dos utilizadores e desenvolve «ferramentas e processos para encontrar abusadores do sistema» constantemente.

Aconselha os membros a verificarem perfis com múltiplas referências positivas, terem alternativas quando viajam e a confiarem nos instintos, se uma situação «não parecer certa».

Dino Maglio está detido numa prisão militar, e não civil, para sua própria proteção. Foi suspenso da polícia após a detenção. Nas buscas ao apartamento foram encontradas uma arma e cópias de pornografia infantil.