Um menino de 11 anos tornou-se no mais novo informador da história judiciária de combate à máfia, em Itália. A criança vive sob proteção policial, mudou de identidade e está a fazer tremer um dos mais poderosos clãs da ’Ndrangheta, a criminalidade organizada da região da Calábria, no Sul do país.

De acordo com o jornal italiano "La Repubblica", trata-se do filho do líder da localidade costeira de San Ferdinando, Gregorio Malvaso. O nome próprio da criança não foi revelado à imprensa, mas a procuradora de Reggio de Calabre, Giulia Pantano, confirma que o seu testemunho é levado muito a sério e que as declarações da criança poderão ser determinantes no fim do inquérito.

“O meu pai fazia parte desse clã. O chefe era Nando Cimato. Sabíamos que era ele quem dava as ordens com a família Bellocco ", disse o menino, que dentro de alguns meses estará numa sala de tribunal, frente ao pai, a reiterar as acusações.

“Vi a droga, as armas, sobretudo pistolas, nunca espingardas… A droga, sempre a vi na garagem”, disse ainda o menino, sem hesitar em incriminar o pai, que já esteve preso em 2014, e fornecendo um organigrama detalhado com nomes próprios e apelidos dos suspeitos.


A 'Ndrangheta é a máfia que opera no Sul da Calábria, como a Camorra faz em Nápoles ou a Cosa Nostra na Sicília. A 'Ndrangheta é muitas vezes considerada a mais poderosa organização entre grupos mafiosos na Itália. Opera a nível mundial no que diz respeito ao tráfico de drogas, à lavagem de dinheiro e aos negócios ilegais. 

De acordo com a imprensa italiana, o pequeno Malvaso sabe utilizar uma arma e distingue uma dose de droga. O menino estava a caminhar para se tornar um mafioso, diz o "La Repubblica.”

Os magistrados descobriram que Malvaso Gregorio levava o filho a todo o lado, desde a mais tenra infância, fosse para ir recolher pacotes de droga ou participar em reuniões de cúpula da organização. O testemunho da criança pode por isso implicar os cúmplices do clã da Calábria.

Após a detenção do pai, a mãe da criança começou a colaborar com a justiça e convenceu o filho a fazer o mesmo. Através do menino a polícia conseguiu, entre outros, o cartão do telemóvel do pai com contactos importantes.

O pequeno informador vive agora com a mãe e os dois irmãos num lugar desconhecido, longe da Calábria e do contacto com o pai e os cúmplices.