Uma matilha de cães vadios anda a semear o terror na Sicília. A polícia italiana lançou uma caça aos animais depois de estes terem morto um rapaz de 10 anos no domingo e de terem mutilado uma turista alemã, esta terça-feira, na na cidade de Ragusa, no Sul da ilha.

A BBC refere que cães de rua mutilaram uma turista de 24 anos esta terça-feira na Sicília, dois dias depois de terem morto um garoto de 10 anos na mesma região.

A turista foi atacada por oito cães enquanto passeava numa praia junto à Marina di Modica, a 20 quilómetros de Ragusa. De acordo com os médicos, a jovem ficou com o rosto desfigurado, além de ferimentos em várias partes do corpo, sendo o seu estado considerado grave.

Dois dias antes, Giuseppe Brafa, de 10 anos, foi morto na mesma região enquanto passeava de bicicleta num campo. Os cães arrastaram a criança da bicicleta e mataram-na. Outro garoto, de 9 anos, ficou ferido.

Polícia lança caça aos animais

A polícia italiana já capturou cerca de 30 cães de rua depois de o rapaz de 10 anos ter sido morto no domingo, mas suspeita que cerca de 20 animais continuem à solta.

As autoridades locais acreditam que a matilha esteja a atacar pessoas por causa da fome. A BBC avança que os animais terão sido negligenciados por um homem encarregue de cuidar deles. Sendo que um suspeito terá mesmo sido detido.

Meio milhão de cães à solta

Os cães de rua são comuns no Sul da Itália. Grupos de defesa dos animais calculam que haja cerca de meio milhão de animais à solta nas ruas, principalmente no Sul do país, muitos deles abandonados pelos donos.

O repórter da BBC em Roma, David Willey, refere que a lei italiana obriga à colocação deste animais em canis, mas é muitas vezes ignorada por falta de fundos públicos suficientes.

As autoridades italianas de saúde pública reúnem-se quarta-feira para definir estratégias que permitam fazer face à situação de emergência criada por este cães assassinos.