O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, inaugurou esta segunda-feira a embaixada paraguaia em Jerusalém, tornando-se o terceiro país a mudar a sua representação diplomática de Telavive, após os Estados Unidos e a Guatemala.

A decisão "concretiza outro acontecimento histórico em nossos vigorosos laços de amizade, pois coincide com a comemoração da criação do Estado de Israel, a qual o meu país acompanhou nas Nações Unidas e que foi decidida há 70 anos", disse Cartes.

"Não sou amigo de posições mornas ou ambíguas", disse Cartes, defendendo a sua decisão de apoiar uma "nação nobre e corajosa", com a qual o Paraguai compartilha "valores e princípios como a democracia, a liberdade, a defesa dos direitos humanos e a tolerância".

Horacio Cartes disse ainda que “admira profundamente" Israel, que "heroicamente defende a sua soberania e integridade, o seu direito de viver em paz, construindo uma nação com exemplar desenvolvimento económico e social, e bem-estar e prosperidade para os seus filhos", recordando "o duro caminho percorrido por milénios por esta nação heroica”.

Na cerimónia esteve também presente o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

Este é um grande dia para Israel, um grande dia para o Paraguai, um grande dia para a nossa amizade", afirmou Netanyahu.

O primeiro-ministro israelita agradeceu ao presidente paraguaio pela atitude.

“Você fez muito pelo seu país e agora está a fazer muito pelos nossos países. Nós lembramo-nos dos nossos amigos. Obrigado Horacio, obrigado Paraguai”, declarou Netanyahu.

O primeiro-ministro israelita lembrou que "o Paraguai ajudou os judeus a escapar da Alemanha nazi".

"Fizeram isso antes do Holocausto, durante o Holocausto e depois do Holocausto, um ato de benevolência e misericórdia que está sempre em nossos corações", acrescentou.

Netanyahu sublinhou que o Paraguai "antes, mas especialmente durante a sua liderança (Cartes)", deu passos corajosos diante da comunidade internacional para se recusar a "acreditar nas mentiras" sobre Israel e apoiar a nação em fóruns internacionais.

O primeiro-ministro israelita prometeu um aumento na cooperação e nas relações, para que "fluam como a água", já que a República do Paraguai tem agora "não só o apoio do Governo, mas também a profunda gratidão do povo de Israel”.

A nova embaixada paraguaia está localizada no Parque Tecnológico de Malha, no mesmo prédio onde a Guatemala inaugurou, na última quarta-feira, a sua embaixada.

Após os Estados Unidos e a Guatemala transferirem as suas embaixadas na semana passada, o Paraguai é o terceiro país a oficializar a transferência da sua representação diplomática para Jerusalém.

A decisão de transferir embaixadas de Telavive para Jerusalém está envolta de polémica, uma vez que contraria recomendações proferidas pela ONU em 1980.

A questão de Jerusalém é uma das mais complicadas e delicadas do conflito israelo-palestiniano, um dos mais antigos do mundo.

Israel ocupa Jerusalém oriental desde 1967 e declarou, em 1980, toda a cidade de Jerusalém como a sua capital indivisa. Os palestinianos querem fazer de Jerusalém oriental a capital de um desejado Estado palestiniano, coexistente em paz com Israel.

Jerusalém é considerada uma cidade santa para cristãos, judeus e muçulmanos.