Israel manifestou esta sexta-feira preocupação em relação à «ofensiva terrorista» em França, com o sequestro numa loja «kosher» nos arredores de Paris, dois dias depois do ataque ao jornal satírico Charlie Hebdo, na capital francesa.

«Israel acompanha com preocupação a situação em Paris», garantiu o ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Avigdor Lieberman, num comunicado citado pela Agência France Presse.

«A ofensiva terrorista em curso nos últimos três dias não visa apenas o povo francês ou os judeus de França, mas todo o mundo livre», afirmou.

O governante evocou uma nova «tentativa, da parte das forças do mal que encarnam o islamismo radical, de infligir medo e terror no Ocidente».

No comunicado, Avigdor Lieberman salienta a necessidade de toda a comunidade internacional «erguer um muro contra o terrorismo».

O Governo de Benjamin Netanyahu continua a repetir que as lutas de Israel contra o Hamas palestiniano e o Hezbollah libanês fazem parte de um combate global que a comunidade internacional deve travar contra o islamismo radical.