O rabino judeu Aharon Cohen, membro do grupo ultra-ortodoxo e anti-sionista Neturei Karta, pediu esta segunda-feira sanções globais contra Israel e sublinhou que opor-se à ideologia sionista não significa ser anti-semita, refere a «EFE».

Durante o discurso na conferência «Palestina: um dever das nações», em Teerão, Cohen defendeu a erradicação do sionismo.

«Devemos asfixiar Israel. As sanções não serão efectivas a não ser que sejam globais. O sionismo é mau para todos, palestinianos, judeus e o resto do mundo», disse o rabino, citado pela imprensa local.

O grupo Neturei Karta - que significa «Guardiães da Cidade» em aramaico - foi fundado em 1935 por judeus contrários à criação do Estado de Israel, já que, na sua opinião, essa é uma responsabilidade que só pertence ao messias.

A maioria de seus membros vive em Jerusalém, mas há grandes comunidades em Londres e Nova Iorque, e actualmente existem dois ramos, um deles mais moderado.