Os islamitas egípcios apelaram a novos protestos este domingo depois da evacuação de uma mesquita no Cairo, onde estavam barricados vários manifestantes, ao fim de quatro dias de confrontos que causaram mais de 750 mortos, informou a agência AFP.

No total, 385 pessoas que estavam no interior da mesquita Al-Fath, que foi evacuada no sábado pelas forças de ordem egípcias, foram detidas, anunciou o Ministério do Interior.

Os apoiantes do Presidente islamita deposto Mohamed Morsi apelaram a novas manifestações hoje à tarde para denunciar o que consideram ter sido um golpe de Estado.

O estado de emergência e o recolher obrigatório noturno continuam em vigor no Egito, que se transformou num campo de batalha desde a dispersão à força dos acampamentos no Cairo de apoio a Morsi, o primeiro Presidente democraticamente eleito no país.