Arsem Ibraham foi sequestrado pelo autoproclamado Estado Islâmico quando tinha 13 anos. Agora que foi libertado, o jovem conta que ouviu elementos do grupo extremista falarem sobre um possível “grande ataque” na Europa. Segundo Arsem, o plano é que o ataque seja cometido por jovens que entrarão no continente europeu pela Turquia.

Eles disseram: ‘Não se preocupe. Estamos a preparar um grande, grande ataque na Europa. O ISIS está a trabalhar a sério nisso’”, relata Arsem.

O jovem Yazidi foi capturado, em 2013, nas montanhas de Sinjar, no Iraque, juntamente com muitos outros elementos da comunidade.

As mulheres e as meninas foram vendidas para serem escravas sexuais e os homens foram assassinados. Já os rapazes, como Arsem Ibraham, foram levados para Raqqa, na Síria, a “capital” do Estado Islâmico, onde foram forçados a juntar-se a um grupo chamado “Os filhos do Califado”.

Em Raqqa, foram treinados para lutar pelo grupo, usando armas e explosivos. Todos os dias, lhes eram apresentados vídeos de ataques suicidas, para que os jovens tomassem os perpetradores como exemplo.

Todos os dias, após os treinos, mostravam-nos vídeos dos últimos ataques suicidas e diziam-nos ‘olhem os vossos irmãos’. Foi nos dito que qualquer um que se faça explodir vai para o céu e que haverá 70 virgens e rios de vinho para nós”, refere Arsem, citado pelo The Independent.

Arsem lbraham conta que esteve num campo militar, durante seis meses, onde foi treinado para matar todos os que eram “infiéis”, como, por exemplo, os curdos e grupos rebeldes, como o exército sírio.

As autoridades curdas disseram à CNN que, no ano passado, mais de 600 crianças Yazidi foram raptadas pelo grupo extremista, mas cerca de 200 conseguiram escapar.

Ao que parece, a estratégia do grupo terrorista passa agora por colocar os combatentes mais experientes na linha da frente e usar crianças-soldado em posições de sentinela e nos esquadrões de bombistas suicidas.

Várias forças coligadas, apoiadas por ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos, conseguiram afastar o Estado Islâmico de Mossul, no Iraque, no último mês. Além disso, as forças curdas, também apoiadas pelos Estados Unidos, estão a aproximar-se de Raqqa, na Síria.

Arsem Ibraham foi encontrado e libertado por combatentes curdos, que avançavam para os arredores de Raqqa. Agora, o jovem vai poder voltar para casa e reunir-se com a família.

Estou ansioso por ver a minha mãe e dizer-lhe que nasci de novo”, desabafa Arsem.