O arcebispo da Igreja Católica irlandesa, cardeal Sean Brady, pediu esta quarta-feira desculpas e confessou-se «envergonhado» pelos milhares de casos de abusos sexuais, físicos e psicológicos praticados por religiosos em instituições do país, ao longo de quase 70 anos, refere a «Globo»..

Padres irlandeses abusaram de menores, revela relatório

A reacção ao relatório da Comissão sobre Abusos a Menores, realizada em 2000, para esclarecer denúncias de abusos ocorridos desde 1940, até meados da década de 80, surge por meio de comunicado.

De acordo com o religioso, o relatório «documenta um catálogo vergonhoso de crueldade, abandono, abusos físicos, sexuais e emocionais», mas representa também «um passo importante para estabelecer a verdade, para dar justiça às vítimas e para assegurar que um abuso como este não volta a acontecer».

O cardeal reconhece o «grande dano e sofrimento» infligido a «alguns dos menores e mais vulneráveis membros da nossa sociedade», e acredita que as revelações «ajudarão a curar a dor das vítimas».

«Sinto muito e estou envergonhado que menores tenham sofrido de maneiras tão horríveis nestas instituições», rematou Brady.