O Exército Republicano Irlandês (IRA) reivindicou o ataque desta noite a uma base do exército britânico na Irlanda do Norte, que causou a morte a duas pessoas e feriu quatro, avança a «SKY News».

Segundo a Sky News, o ataque foi reivindicado através de um telefonema de uma brigada do sul de Antrim do IRA-Verdadeiro para o jornal Sunday Tribune, de Dublin. Um código, confirma a autenticidade do grupo.

Veja as fotos e o vídeo

O ataque foi efectuado por homens fortemente armados que atacaram o quartel-general do regimento de elite da base de Masserene, no condado de Antrim, nordeste de Belfast.

As autoridades já tinham afirmado que acreditavam que o ataque foi planeado por membros dissidentes do IRA (Exército Republicano Irlandês), o que seria o primeiro grande incidente desde Agosto de 1998.

Entretanto o Sinn Fein, braço político do IRA, condenou o atentado e afirmou que os responsáveis do ataque «não têm nem apoio nem estratégia para conseguir a unificação da Irlanda». O presidente do partido, Gerry Adams, qualificou o «tiroteio» como uma agressão contra o «processo de paz».