As forças armadas turcas mataram 32 combatentes do Estado Islâmico em Bashiqa, no norte do Iraque. A ofensiva, divulgada pela CNN da Turquia, surgiu como resposta ao ataque a um tanque turco que se encontrava num campo militar da região.

Os soldados turcos destruíram um edifício, provocando a morte a dez jihadistas. Ainda segundo a CNN da Turquia, 22 rebeldes ainda tentaram fugir, mas também acabaram por morrer.

A Turquia, que é membro da NATO, tem soldados destacados no campo militar de Bashiqa, perto de Mossul, a terceira maior cidade do Iraque. Estes militares treinam as forças locais para estas combaterem o Estado Islâmico.

Leia também: Estado Islâmico enviou jihadistas para a Europa

Mas não é só no Iraque que a Turquia coloca esforços contra o Estado Islâmico. O país, que faz fronteira com a Síria, tem sido, de resto, um dos alvos dos jihadistas. 

Esta terça-feira, a cidade turca de Kilis foi atingida por rockets dos rebeldes pelo segundo dia consecutivo. Três pessoas ficaram feridas. Na segunda-feira, pelo menos quatro pessoas morreram depois de cinco rockets terem atingido a cidade.

As últimas informações dão conta de que Ancara poderá pedir ajuda à coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, para combater as forças radicais junto à fronteira com a Síria.