Os rebeldes sunitas estão a caminho de Bagdade, depois de se terem apoderado de extensas áreas do noroeste do Iraque, e os Estados Unidos admitem realizar ataques aéreos para deter a ofensiva extremista.

O parlamento iraquiano reúne-se esta quinta-feira às 12:00 e, segundo fontes oficiais, deverá decretar, a pedido do Governo do xiita Nuri al-Maliki, o estado de emergência no país.

Os combatentes do grupo radical islâmico do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (EIIL), ligado à Al-Qaeda, ocuparam nos últimos dias as regiões de Siniyah e Suleimane-Bek, a província iraquiana de Ninive e parte de duas províncias vizinhas, Kirkuk e Salaheddine, incluindo a cidade de Tikrit, entretanto já retomada.

Os rebeldes tinham apelado aos seus seguidores para avançarem para a capital, Bagdade, segundo um grupo de monitorização norte-americano.

O porta-voz do EIIL, Abu Mohammed al-Adnani, prometeu numa gravação áudio, datada de quarta-feira, que a batalha será de «raiva» quer em Bagdade quer em Karbala, indicou ainda o centro norte-americano de vigilância de portais islâmicos SITE.

Abu Mohammed al-Adnani terá ainda criticado a «incompetência» do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki.