Notícia atualizada às 11:50

A França juntou-se ao Reino Unido na campanha de voos de reconhecimento de apoio à operação norte-americana contra o Estado Islâmico no Iraque, revelou esta segunda-feira o ministro da Defesa francês.

A França possui uma base nos Emirados Árabes Unidos onde estão estacionados aviões de vigilância e de combate, explicou Jean-Yves Le Drian que está na reunião também no âmbito da preparação de uma conferência internacional de combate ao Estado Islâmico.

O grupo jihadista, que ocupa algumas zonas do Iraque e da Síria executou sábado o terceiro refém estrangeiro, aumentando a pressão sobre os Governos que vão reunir na capital francesa.

Apelo do presidente francês

O presidente francês, François Hollande, fez um apelo, esta segunda-feira, por uma ação internacional unificada para enfrentar a ameaça dos militantes do Estado islâmico. Foi durante a abertura da conferência sobre o Iraque que reúne os membros de uma coaligação liderada pelos Estados Unidos.

«Qual é a ameaça?», questionou, para responder em seguida: «É mundial, portanto, a resposta tem de ser mundial... a luta do Iraque contra os terroristas é também a nossa luta. Devemos empenhar-nos juntos, este é o objetivo desta conferência».

O apelo do presidente iraquiano

O Presidente iraquiano, Fuad Masum, apelou em Paris, onde vai participar na conferência internacional contra o Estado Islâmico, à realização rápida de ataques contra os Jihadistas.

«Eles precisam de atuar rapidamente porque se adiarem, se esta campanha e este apoio ao Iraque for adiado, provavelmente eles vão ocupar outros territórios e a sua ameaça será ainda maior», disse.