A França considera o Estado Islâmico (EI), que atua no Iraque e na Síria, um grupo terrorista de uma perigosidade sem precedentes e uma ameaça global, que preocupa também a Europa, assinalou hoje o ministro gaulês dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius.

«Pelo seu poder, pelos seus métodos e pelo seu objetivo, esta organização é ainda mais perigosa que os grupos terroristas precedentes ou atuais», declarou o chefe da diplomacia francesa numa entrevista publicada no diário «Le Figaro».

Laurent Fabius, que hoje inaugura em Paris a conferência anual dos embaixadores franceses, acrescentou ser uma «ilusão» pensar que a ação do EI se limitará à Síria e ao Iraque.