Um ano depois das forças iraquianas terem reconquistado Mossul aos jihadistas do Estado Islâmico, o sistema de saúde da cidade continua a falhar, os hospitais estão em ruínas e até os serviços básicos são cada vez mais insuficientes, segundo relatos de grupos de ajuda humanitária à agência Reuters.

Hospitais completamente devastados, funcionários dos Médicos sem Fronteiras em espaços improvisados e pacientes internados em recuperação sem as condições médicas consideradas normais: é este o cenário na terceira maior cidade do Iraque.

Como sinal de esperança, no Hospital de Médicos Sem Fronteiras foi pintado um mural com as mãos e mensagens dos pacientes que recuperaram e tiveram alta.

Veja as imagens na fotogaleria.