Uma apresentadora da televisão iraquiana Al-Mosuliya foi morta a tiro à porta de casa, em Mossul, por um grupo armado.

Nures al Naimi é a segunda vítima mortal dos ataques contra profissionais da comunicação social naquela cidade do norte do Iraque, só em dezembro.

No início do mês, Adel Husein, que trabalhava para vários meios locais em Nínive, também foi assassinado por um grupo armado.

Em outubro, dois jornalistas do canal privado Al-Sharquiya foram baleados por desconhecidos quando trabalhavam no centro da cidade de Mossul.

O Observatório para a Liberdade de Imprensa do Iraque já tinha condenado estes ataques e pedido a proteção da polícia.

Segundo números do Sindicato de Jornalistas iraquiano, divulgados em outubro passado, pelo menos 375 profissionais de diferentes órgãos foram mortos desde a queda do regime de Saddam Hussein em 2003.