Pelo menos 36 pessoas morreram e cerca de cem ficaram em dois atentados suicidas em Bagdad. Os alvos foram um restaurante e um mercado muito populares entre os habitantes da capital.
 
A primeira explosão ocorreu de manhã no restaurante da zona leste da cidade e tudo leva a crer que foi obra dos extremistas sunitas, nomeadamente do estado islâmico, organização jihadista que desde junho de 2014 domina grandes extensões do país.
 
Nos últimos meses a capital do Iraque tornou-se mais segura e já este sábado está previsto o levantar do recolher obrigatório em vigor desde 2004. Um regresso à normalidade saudados pela população e que já se sente com o fim dos controlos militares nas ruas.