Os vídeos de Elliot Rodger, o alegado homicida da Universiadde da California, em Santa Bárbara, nos Estados Unidos, que terá matdo seis pessoas, foram removidos do YouTube.

O site explicou que os vídeos violavam as suas regras sobre o não apelo à violência na Internet, refere a BBC. Contudo, peritos dizem que a retirada destes ainda acende mais o rastilho da sua disseminação pela rede.

Os vídeos foram colocados por Rodger no compasso entre o momento em que matou os seus colegas de casa e a seguir empreendeu o tiroteio que matou três raparigas no campus da universidade.

As redes sociais tentam travar este tipo de mensagens, mas o trabalho não é fácil. Entretanto, o Facebook também fechou uma página de tributo a Elliot Rodger.

Elliot Rodger, de 22 anosm deixou um manifesto de 140 páginas que revelava perturbações mentais e que o crime estava há muito planeado.

No manifesto a que a CNN teve acesso, Rodger escreveu: «A minha ideia do dia da Redenção é que eu possa fazer tudo, o poder ser todo meu, e possa destruir tudo aquilo que não consigo alcançar», nomeadamente, as mulheres, com quem o jovem tinha problemas de relacionamento.

«Todas aquelas raparigas lindas que desejei tanto toda a minha vida, mas que nunca pude ter porque me desprezavam ou gozavam comigo».

Os sinais de que algo estava mal já tinha sido detetados por familiares antes, que contactaram os serviços da Segurança Social a pedir apoio. Elliot Rodger recebeu a visita dos assistentes sociais no dia 30 de abril, acompanhados pela polícia, mas nada mais lhe aconteceu.

Aliás, Rodger escreveu de seguida no seu manifesto esse encontro com as autoridades. «Tive o receio de que alguém de alguma maneira descobrisse o meu plano e o denunciasse. Se esse fosse o caso, a polícia teria revistado o meu quarto e descoberto as minhas armas, juntamente com os meus planos escritos».

Na sexta-feira pôs o seu plano em prática. Seis pessoas morreram e o alegado homicida também. O carro ficou imobilizado num parque de estacionamento. Lá dentro, o alegado homicida estava morto com um tiro. Na conferência de imprensa de sábado, a polícia não esclareceu se o homem já estava morto quando o encontraram.

Desenrolando o fio da meada, fica a saber-se que Roger foi uma criança feliz até aos sete anos, altura em que os pais se separaram. Começou aí o pesadelo que fez dele um adolescente vítima de bullying.