Os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE decidiram esta sexta-feira a favor do fornecimento de armas aos combatentes curdos no Iraque, numa decisão que cabe a cada Estado-membro.

«Encontrámos uma posição comum: a UE saúda o facto de alguns países responderem favoravelmente ao pedido das forças de segurança curdas», afirmou o chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier, no final de uma reunião de emergência, em Bruxelas.

«Não é ainda claro que equipamentos serão utilizados e necessários», acrescentou.