A Ucrânia não vai levantar processos contra os manifestantes que ocupam os edifícios públicos, caso estes se rendam e entreguem as armas.

A garantia foi deixada esta quinta-feira pelo presidente Oleksander Turchinov no parlamento.

«Garantimos que não existirão processos-crime contra aqueles que entreguem as armas e abandonem os edifícios públicos», como cita a Reuters. «E estou disposto a garanti-lo por decreto presidencial».

Separatistas pró-russos ocupam vários edifícios nas cidades de Luhansk e Donetsk. Kiev receia que este seja um pretexto para a invasão russa.

Mas, nem tudo são rosas para a Rússia, com a agregação da Crimeia e o primeiro-ministro russo já veio avisar que Moscovo vai ter que mudar as regras do orçamento, já que há que fazer contas aos dois milhões de pessoas que se juntam agora ao país com a anexação da Crimeia.

«Quando um país ganha dois milhões de pessoas e uma região que precisa de grandes investimentos, isto não pode ser feito só a partir dos fundos que o país já tem destinados para investimentos», disse Igor Shuvalov, numa entrevista ao jornal «Die Welt» alemão e que a Reuters dá conta.